Perdoai-vos mutuamente…

“E, quando estiverdes orando,

se tendes alguma coisa contra alguém,

perdoai,

para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas.”

Mc. 11.25

A falsa unção é característica da espiritualidade fomentada no gedeltismo.

Debaixo de jugo desigual, presos a doutrinas de homens, profetadas e revelagens, ficamos intoxicados com heresias, instigação do ódio religioso, meias verdades e mitos religiosos. Nesse ambiente de hipocrisia aprendemos a agradar a homens e a desrespeitar as Escrituras.

Dentro das cercas de arames farpados e muros da antiga prisão andávamos em círculos, com améns para meias verdades, mentiras, mitos religiosos, palhaçadas, piadas de mau gosto, profetadas e revelagens nos seminários.

Nem  evangélica, nem pentecostal, nem protestante. Difícil aceitar esta declaração; mas a ICM-PES é a igreja-do-jeito-que-Gedelti-quer. E de desestruturação familiar dá pena falar…

Escutem! Nossos filhos foram traídos!

Nesse contexto de esquizofrenia religiosa o gedeltismo nos deixou amantes de nós mesmos, cegos, discriminadores, formatados, instigados pelo ódio, intolerantes, manipuláveis, obtusos, orgulhosos e preconceituosos.

O gedeltismo implodiu a denominação eclesiástica que ele criou para se auto afirmar (e conta vantagens!).

O ódio religioso ainda é inflamado pelos dominadores de rebanhos com o mesmo princípio: espada em nome de Deus e morte aos infiéis. Mostrem-me uma Circular do Presbitério condenando os formatados icemistas por criarem blogs de conteúdo caluniador, difamatório, hostil, injurioso, odioso e pernicioso, contra aqueles que não mais frequentam os cultos da ICM. Mostrem-me uma só… Não existe!

O “outro evangelho” nos escravizou à apostasia, à cumplicidade e à espiritualidade pseudocarismática. Os frutos podres logo apareceram porque a falsa unção mata! Os icemistas foram empurrados para o beco sem saída.

Onde a linguagem do não-pensamento encontrou alicerces para enganar e expandir a imaginação para erros em cima de erros, cresceu o farisaísmo da hierarquia religiosa. Insisto: leiam e meditem nos argumentos deste artigo para entenderem o que aconteceu na fermentação do falso profetismo. Quanto erro! Que maldade a nossa!

Os retirantes estão descobrindo que liberdade em Cristo é algo excelente; coisa que os crentes em Jesus conhecem há séculos.

 Por conseguinte, o despertar para a realidade nos força ao arrependimento para a prática de boas obras. Esse mover do Espírito de Cristo inclui PEDIR PERDÃO a quem houvermos ofendido e a PERDOARMOS os ofensores. Neste sentido o SITE apela ao exercício de PERDOAR e estarmos prontos ao ato de PEDIR PERDÃO. Já falei sobre este assunto e cobro de mim mesmo, em primeiro lugar.

Porquanto está escrito (Cl. 3.13-14):

 “Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós; acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição.”

Resta lembrar, por exemplo, que a atitude do amado irmão Pr. Eduardo é de cristão sincero. E mais: ele abriu mão do sigilo de e-mail, pediu que publicasse e os telefones, inclusive. Prova de que não quer se ocultar e nem fazer do SITE um campo de batalhas pessoais.

Sejam firmes nas promessas de Deus.

CV.

  • Resolva a seguinte pergunta para envio *

    You may use these HTML tags: <a> <abbr> <acronym> <b> <blockquote> <cite> <code> <del> <em> <i> <q> <s> <strike> <strong>

  • Comment Feed for this Post