O CONFRONTO

Oi CV, tudo bem?

Lendo mais uma vez o artigo Em Querite não existe atalhos, esta sua última frase do terceiro parágrafo: “…Prefiro sair de cena, porquanto a seca dos pastos e as fomes das gentes falarão mais alto…” me lembrou este sonho que tive em 12/04/2010:

“Sonhei que nossas igrejas estavam distribuindo um alimento semelhantes ao de confeitarias e padarias. Eram bolos confeitados e coloridos, roscas e doces. No começo todos comiam e gostavam  muito mas depois começava a ficar enjoativo. Muitos não queriam mais, outros passavam mal e sentiam verdadeiro fastio desses alimentos. Alguns perguntavam por pão. Era servido pouquíssimo pão em algumas igrejas e esses eram muito disputados por serem raros. Alguns irmãos iam de uma igreja para outra a procura de pão porque não aguentava mais comer aquele tipo de alimento que estava sendo servido. Era notória a anemia em muitos irmãos.”

Enquanto você escrevia este artigo eu cambaleava de fome.

Nesta época os pastos já estavam secos e só agora entendo este sonho.

Por muitas vezes eu chegava da igreja e fazia outro culto em casa, sozinha. Quantas e quantas vezes nos cultos da igreja não se falava uma única vez no nome de Jesus ou, quando muito, era no início com o clamor e no final na benção apostólica.

Muias vezes saía pra longe buscando alimento para a alma. Eu não conhecia Querite. Que pena! Mas, por outro lado o SENHOR te separava e preparava para escrever estes artigos que agora vêm de encontro à tantas almas famintas. Hoje um Ministério que trás consolo e refrigério aos retirantes feridos e tristes.

Conheci seu Blog em janeiro deste ano. Não sabia manuseá-lo. Era tudo estranho.

Eu tinha medo de você. Tinha medo mas mesmo assim queria saber o que você tinha a dizer. Às vezes te achava tão duro, tão bravo.

Às vezes ficava tão brava, porque você provava que tudo aquilo que eu tinha como verdade era tudo mentira. Isso doeu muito. Você não tem ideia do quanto doeu.

Eu achava que tudo era apenas sentimento de vingança e ódio da sua parte. Te achava malvado mas ao mesmo tempo tão bom. E assim os sentimentos se confundiam até que passei a compreender o propósito de Deus em tudo isso.

Agora tenho você como um pastor amado.

Tenha uma noite de paz.

A paz do Senhor Jesus.

Eurípia Ines