A ação de homens e mulheres que dizem falar em nome de Deus é prova da falsa unção. Leninha Gonçalves, 31 a, da Assembleia de Deus Missões Vida, em Colégio, subúrbio do Rio, exemplo desse mal dos últimos dias. Em 2001, quando ela estava no nono mês da gestação de seu primeiro filho ela foi à reunião de oração na Assembleia de Deus, na Vila da Penha, que é muito conhecida como “rancho dos profetas”.

– Dentro de três dias, seu filho nascerá perfeito e saudável. No meio do culto, um homem conhecido como Danielzinho se levantou e profetizou.

Três dias depois Leninha realmente foi para o hospital para ganhar seu filho, a criança morreu poucas horas depois do nascimento. Decepção sem precedentes.

– Saí do hospital com um travesseiro debaixo do braço e, depois disso, nunca mais acreditei em profeta. Para mim agora, Deus fala apenas através da Bíblia, diz com amargura.

  A falsa profecia esmaga, fere e mata como fruto da falsa unção geradora da morte. Fruto podre! 

A falsa unção é concedida pela autoridade eclesiástica monárquica e pseudocarismática. Desde modo, a concessão dessa autoridade espiritual passa a ser a fonte geradora de profetadas e revelagens… e o mal circula no Corpo da Obra.

Dos escaninhos da espiritualidade esquizofrênica e megalomaníaca nasceu a ideologia  Obra como forma de vida. Com esta expressão de loucura o gedeltismo ergueu a monarquia pseudocarismática que favoreceu a elite. O apoio de meias-solas feitos valetes da Obra Revelada (escrevi valetes) foi fundamental e fortaleceu a mentira do mestre-mor.

Enquanto o Diabo balança o rabo na boca de gente metida a inventar profecias, é de esperar o rio de profetadas e revelagens. Não se iludam: cada membro da elite icemita confiou em profetadas e revelagens e mergulhou no poço de iniquidades. E o fedor sobe aos Céus. Eles estão sem limites masd donos de balcões de negócios aproveitam e enchem os bolsos.

Esta babilônia maranática não quer ser curada. A banda podre não deixa.

Lamentavelmente, depois as massagens de ego como cortinas de fumaça a nuvem do não-pensar os encobre… até quanto? Enorme o registro de profetadas e revelagens que deram curso aos males que assaltaram a membresia nessa jornada que chega a quarenta e cinco anos.

Nesta Obra como forma de vida aparecem profetadas e revelagens de todo tipo:

aquela senhora de frente que entrega profecia para desmanchar casamento;

aquele meia-sola profetizando que o menino será curado… e ele morre;

aquele meia-sola que profetiza para o empresário: – meu servo será próspero. Dias depois, com três tiros na cabeça este cidadão foi assassinado por ex-empregado; 

aquela comissão de pastores do alto escalão da hierarquia maranatizada profetizou para o pastor: – larga o emprego federal para trabalhar na Obra e nada lhe faltará. E nunca lhe deram o prometido sustento…

A iniquidade permanece.

Esses maus pastores fizeram da Maranata um campo de enriquecimento fácil e ilícito à custa de ENGANAÇÃO, notadamente com profetadas e revelagens que correm como fogo em palha seca.

Este espaço está disponibilizado para registro daquele “dão” que NUNCA SE CUMPRIU. Em meio a mais de 8.500 (oito mil e quinhentas) postagens há uma centena desses episódios.

Eu DENUNCIEI. Quanto mais o Ministério Público investiga, mais aparece para investigar…

O que aconteceu com as profetadas e revelagens nos cultos das ovelhas, nos cultos proféticos, nos seminários da Obra etc? Nunca se cumpriram.

Profetadas e revelagens geram os piores transtornos.

Relatem os fatos.

NOTA

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas e ideias.

Caso copie mencione http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2013/04/profetadas-e-revelagens-o-mal-esta-solto/

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Este espaço está disponibilizado para registro daquele “dão” que NUNCA SE CUMPRIU. Em meio a mais de 8.500 (oito mil e quinhentas) postagens há uma centena desses episódios. Relatem os fatos.

Evitem postagens fora do FOCO do artigo.

Por ser deselegante evitem CAIXA ALTA (letras maiúsculas) nas postagens.