A intenção dos inimigos de seu povo espalhava a notícia da hora da covardia, dissimulação de intenções, expropriação de bens, matança e zombaria. A ordem era para ser cumprida e sem direito de defesa. Matança! Nada de piedade!

Certa mulher de berço discriminado e humilde, judia de nascimento, chamada Hadassa (Murta), com a graça e misericórdia de Deus fortaleceu-se para promover um grande livramento da população.

Chegando à posição de esposa de Assuero (nome hebraico de Xerxes, o rei da Pérsia que reinou de 485-465 a.C.), Hadassa aparece como Ester (Estrela). Desde o momento em que a armação diabólica para destruição dos judeus chegou ao seu conhecimento, assim como o sol nasce e resplandece, Ester levantou-se contra Hamã…

Conforme suas forças Ester exerceu fé em seu Deus, comprometendo-se a favor de seu povo, pois o seu coração estava abrasado. “Pois como poderei ver o mal que sobrevirá ao meu povo? E como poderei ver a destruição da minha parentela?” Ficou gravado!

Como foi predita por homens que nos falaram movidos pelo Espírito de Cristo Jesus, a apostasia avança. A passos largos! Heresias destruidoras, presunções do saber humano e vãs sutilezas dos obreiros portadores da falsa-unção e pseudocarismáticos entre eles: apóstolos, cabalistas, donos de igrejas, hereges, mestres novaerinos, obreiros fraudulentos, papistas, pastores insensatos e outros, se espalham qual erva daninha ou praga de gafanhotos. Devastação!Divisão de igrejas!

Diversas comunidades cristãs estão rejeitando os alicerces em que foram estabelecidas para adoração ao Altíssimo Deus, o Deus-que-vive-por-Si-mesmo. Apóstatas, dissimuladores, dominadores do rebanho de Deus, heréticos e mercenários cuidam de seus próprios interesses. Não se importam com o isento e “justo juízo de Deus” (gr. δικαιοκρισιας του θεου – Rm. 2.5 – TR) que cairá sobre os adoradores do Anticristo nos dias ainda futuros da   “grande [tamanha] tribulação” (Mc. 13.19; Mt. 24.21). Imprescindível!

Eles são hábeis em torcer as Escrituras a seu jeito e dizem: “Quem nos verá?” Porém este juízo está descrito em ordem e com muitos pormenores no Apocalipse de Jesus Cristo (selos, trombetas e taças); e, tão certo como o Espírito de Cristo Jesus revelou o propósito de Deus para a consumação de todas as coisas, esse juízo virá sobre os moradores da terra.

Minha convicção é que a hora está avançada. Bem avançada! A  intervenção isenta, justa, legal e plenipotente do Altíssimo Deus, o Deus-que-vive-por-Si-mesmo, está certa e determinada. Escatologica, imperiosa e rreversivel! Aquele que ainda tem ouvidos para ouvir e quer poupar sua alma da condenação e desespero futuros, deve arrancar falsas doutrinas, falsas profecias e falsas visões de seu coração e dar constante crédito às Escrituras. Imediatamente!

Na maioria das vezes em que Deus, o SENHOR Todo-Poderoso, o “Soberano dos reis da terra” (Ap. 1.5), derramou Sua ira, Ele o fez através de homens e nações como instrumentos de justiça para cumprir Sua vontade. Nestes contornos, o dia da destruição já está marcado. O profeta Ezequiel exclama (7.25): “Vem a destruição; eles buscarão paz, mas não há nenhuma.”

O Espírito Vivificante de Cristo Jesus haverá de convencer da grande importância do crente em Cristo andar em dignidade enquanto aguarda o inesperado momento em que a “bendita esperança” dos crentes em Cristo Jesus (Tt. 2.13-14) se concretizará “num abrir e fechar de olhos” (1 Co 15.52). Este assunto deve ser alvo de ajuizado e constante ensino aos que estão sendo (1 Co. 1.2) “santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso”.

O incremento da apostasia do cristianismo paganizado e do judaísmo ocultista; da corrupção nos governos; da idolatria incentivada pelo catolicismo papista; da imoralidade, iniqüidade e ferocidade humana em todas as suas formas; da espiritualidade ocultista em todas as suas manifestações de para-normalidade e dos piores vícios entre os moradores da terra, são fatos exibidos no dia-a-dia pelos meios de comunicação social.

Os cabalistas, eclesiásticos, maçonoverinos, ocultistas, papistas e outros céticos-de-plantão continuam ignorando que o Altíssimo Deus, o Deus-que-vive-por-Si-mesmo e vem antes de Sua Palavra, continua firme na ação inexprimível e misteriosa de remover o poder de restrição (2 Ts. 2.7-10) que o Espírito Eterno ainda exerce contra a iniqüidade dos homens (2 Ts. 1.8 cf. 2.11-12; 1 Tm. 4.1b. – ênfase adicionada):

“que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus  (…)  É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito [exercerem fé] à mentira, a fim de serem julgados todos quantos não deram crédito [não exerceram fé] à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça. (…) por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios.”

 Os homens educados, honestos e sinceros, por não compreenderem a razão de o Mal avançar entre os moradores da terra, entram em desespero. Desespero é o mal de que estamos sofrendo. De fato, o Mal avança a ponto de exigir a aparentemente demorada intervenção divina.

Ora, a ação de arrebatar  a “igreja de Deus… corpo de Cristo”  (1 Co. 1.2; 12.27) depende exclusivamente de DECISÃO MESSIÂNICA. A Escritura Profética declara que este ato é iminente, indivisível, instantâneo, messiânico, misterioso e pré-tribulacional para a “Casa de Deus que é a igreja do Deus vivo, coluna e baluarte da verdade” (1 Tm. 2.15). Não haverá aviso-prévio (1). No contexto da Escritura o arrebatamento não é para “os demais que não têm esperança.” (1 Ts. 4.13). Por oportuno, esta poderosa profecia não deixa de expressar juízo contra a cristandade apóstata e o judaísmo obtuso; pelo que, ao escrever aos cristãos que estavam dispersos por motivo das perseguições romanas o apóstolo Pedro ratifica o ensino do apóstolo Paulo (1 Pe. 4.17):

“Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus?”

Portanto, doutrina revelada, emoções de espiritualidade finginda, heresias institucionalizadas e herança de sutilezas das tradições e vaidades dos homens, não se prestam para servir de guia de respostas à perguntas sinceras. Reitero que a questão de fundo é de autoridade e soberania. Se existe algo a fazer é exercer fé no ensino que o Espírito de Cristo Jesus declara, eis que a Infalível a Palavra de Deus, o SENHOR Todo-Poderoso, o “Soberano dos reis da terra”. Como diz o SENHOR (Is. 40. 3-8):

“Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos, aplanados. A glória do SENHOR se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do SENHOR o disse. Uma voz diz: Clama; e alguém pergunta: Que hei de clamar? Toda a carne é erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e caem as flores, soprando nelas o hálito do SENHOR. Na verdade, o povo é erva; seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente.”

Rejeição ao amoroso convite divino ao arrependimento dos delitos e pecados gera a morte eterna. Esta é a Lei e os Profetas. Os cristãos que servem a Deus “em espírito e em verdade” (Jo. 4.23-24), compreendem a ação de Deus no curso da História e os livramentos necessários ao povo de Deus.

 Conclusão

Este artigo gera MUDANÇAS…

Ester comprometeu-se, conforme suas forças, em livrar o seu povo das mãos de quem era mais forte que eles. Ela conseguiu livrá-los da matança orquestrada pelo mau Hamã. Ficou gravado nos nossos ouvidos (Et. 8.6): “Pois como poderei ver o mal que sobrevirá ao meu povo? E como poderei ver a destruição da minha parentela?”

Muitos estão com medo dos Hamãs das igrejas, costumeiramente cercados de conselheiros e de falsos profetas. Doentes de esquizofrenia religiosa exibem o caráter conspirador e interesseiro dos politiqueiros. Esses Hamãs agem como donos de rebanho, constroem prisões religiosas, mostram-se ardilosos, autodefensivos, avarentos e dissimuladores. Instrumentos de manobras malignas, oportunistas e traiçoeiras.

Muitos estão presos em doutrina revelada, construída com o olhar caolho de um falso mestre que detém o poder religioso nunca transparente. Medrosos facilmente intimidam-se com as armações e calúnias palacianas, especialmente as maldições do tipo: vai ser comido de bicho. Entorpecidos com a enganação, não acordam e nem percebem a luz que existe fora das cadeias e prisões desses Hamãs sectaristas. O poder camaleônico  existe, causa pânico e instiga o ódio religioso.

Neste contexto, o meu canto é de dores. O meu desejo é ajudar na compreensão do Mal que se aproxima e motivar os leitores ocasionais e os seguidores deste SITE para que livrem, desses Hamãs,  a todos quantos possam.

O ministério de servir em amor aos irmãos começa, quando alguém compreende, que a vida do povo do Deus é mais importante que a sua própria vida.

Se em seu coração arde o desejo intenso de livramento do povo, como aconteceu no coração de Ester, então, apresente-se ao SENHOR e diga: estou pronto, SENHOR, para assumir desafios a favor do povo de Deus. Porquanto está escrito (Is. 60.1-2):

“Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz,

e a glória do SENHOR nasce sobre ti.

Porque eis que as trevas cobrem a terra,

e a escuridão, os povos;

mas sobre ti aparece resplendente o SENHOR,

e a sua glória se vê sobre ti.”

NOTAS

Artigo atualizado em 21.05.2011

(1) – Stanley M. Horton – Teologia Sistemática – Uma Perspectiva Pentecostal – As Últimas Coisas, CPAD, 2a. Ed., 1997, p. 613 – “Noutras palavras: não haverá aviso prévio no último momento, e nenhuma oportunidade de ficar pronto em tão curto prazo. A mesma verdade é ressaltada na Parábola das Dez Virgens (Mt. 25.1-13). Tudo isto faz-nos lembrar que, a despeito da demora, devemos sempre considerar iminente a volta de Cristo.”