Comecei a denunciar a heresia da QUARTA TROMBETA em 25.03.2007 na Comunidade Já Fui Um Maranata.

Denúncia contra o ensino-profético do Pr. Gedelti V. T. Gueiros ao desprezar a Divindade, o Messianato e o Sumo Sacerdócio de Jesus Cristo. Erro em cima de erro!

Este artigo confronta. Entendo erro grosseiro na interpretação das Escrituras Sagradas com a formulação do mais atordoante capítulo da HERESIA ICEMITA; e lancei mão do direito de impugnar. Indiquei artigos, revistas e sites onde o mestre icemita expõe a doutrina revelada aqui resistida. Menina dos olhos do mestre; mas até o bom senso nos mostra que esse ensino do mestre é insuportável e ofensivo à Revelação Proposicional.

Desacatando as mais mínimas normas da Hermenêutica e alicerçada em duvidosos pressupostos da pseudo-ciência, o olhar caolho do construtor de heresias invoca Apocalipse 8.5: “E o anjo tomou o incensário, encheu-o do fogo do altar e o atirou à terra. E houve trovões, vozes, relâmpagos e terremoto.” Então, para horror da inteligência média dos cristãos o mestre profetiza que:

  • as três primeiras das sete trombetas do Apocalipse já tocaram;
  • enquanto as trombetas ressoam o anjo joga do fogo do altar – o Espírito Santo – sobre as cabeças dos homens para que recebam com alegria as intervenções de Deus;
  • finalmente, a quarta trombeta vai tocar e num abrir e fechar de olhos a Igreja Fiel vai ser arrebatada.

De notar, que ensinar o “fogo do altar” em Ap. 8.5 como sendo o batismo com o Espírito Santo é erro gravíssimo. HERESIA! Deus nunca disse isto! Mesmo assim, o erro gedeltiano foi exaltado em 21.04.2006 na imaginária  Grande Evangelização orquestrada pela ICM-PES na Grande Belo Horizonte – MG. Quer dizer: errar e continuar errando está na moda. Os cegos continuam exercendo fé na mentira e o falso profetismo continua como fogo em palha seca nos chamados cultos proféticos. Reclamações surgem dos quatro cantos da terra. Demonstro com exemplos:

http://obramaranata.wordpress.com/2011/02/19/era-uma-vez-numa-grande-evangelizacao/

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=1278527&tid=5371590768383165508&na=1&nst=1

Dizendo-se especialista em Escatologia, este mestre de ilusões ajeita o discurso “além da letra”. Então, apela à ambigüidade e espiritualização de frases isoladas do contexto do ainda futuro e gravíssimo Juízo das Trombetas.

Este evento judicial pertence ao futuro período da “grande (tamanha) tribulação” (Mc. 13.19; Mt. 24.2; Ap. 7.14).

Entendendo da necessidade de dar ares de cultura acadêmica a este ensino-profético além da letra, ele lança mão de eventos da mídia e pseudo-ciência. Encanto dos beatos cegos que não examinam as Escrituras e exercem fé na crença do mestre e monarca muito religioso. Indiscutivelmente, a ignorância os impede de perceber que, em termos de heresias, neste tema o chefe dos icemitas deixou os adventistas (IASD) para trás.

Entre aqueles foristas houve quem dissesse nada entender das profecias nesse sentido. Então, compreendi as dificuldades em que os amados irmãos labutavam: anos a fio haviam ouvido o chefe religioso, e grande icemita, e mestre dos mestres, e monarca quadragenário, e maior valente da Obra Revelada. Ufa!

Intrometidos apareceram dificultando o interesse sincero no entendimento do que havia proposto no Tópico. Inevitável a parada no assunto, haja vista que os que atrapalhavam confundiam os que desejavam entender e importunaram. Muito! Porém, passado algum tempo, os que atrapalhavam excluíram seus comentários. Vale a pena correr os olhos no referido Tópico, agora limpo de comentários infelizes e tresloucados.

Mas a minha resposta não parou neste ponto, porquanto reapresentei o assunto.

Nas falas de Benício, Carlos e Marcelo  procuro demonstrar como o beato é formatado na base do DON (Doutrinas, Orientações e Normas do Presbitério cf. arts. 5º e 25 do Estatuto da ICM-PES).

Insisto que cada bobo da corte é capaz de absurdas ambigüidades e diversas espiritualizações (ele aprendeu com o mestre); e até inventa profecias para si mesmo… Pasmem!

No insano intuito de progresso e status na Obra Maravilhosa Benícios formatados servos da Obra inventam profetadas e revelagens e a si mesmos recomendam. E insistem: Deus falou!

Não duvide: dentre os icemitas formatados os que mais absorvem a Obra esperam a honrosa posição de representante do Presbitério nas unidades locais  (artgs. 21,22,23 e 31 do E-ICM-PES).

Não é para menos: no corpo principal de valetes (escrevi valetes) o monarca, muito religioso e sectarista, investe nos mais manipuláveis e naturalmente submissos.

O chefe dos icemitas, então, nomeia a comissão para exame dos pretendentes. Os novos valentes da Obra são destacados para ordenação ao Ministério da Obra Maravilhosa com base em bibliomancia, clamor pelo sangue de Jesus e falso profetismo. MITOS! Porém, o chefe religioso diz que  meia sola e unhas encravadas não têm jeito. Por oportuno, ouça-o vociferando.

O DON impera na força do gedeltismo introjetado nesta geração de icemitas intoxicados com os mistérios da Obra. Este mal desenvolve corações endurecidos e orgulhosos de doutrinas de homens, literalmente responsáveis pelas pedras lançadas contra os demais que discordam das heresias; os quais, não mais suportando o ensino falacioso, quebraram as algemas e romperam com o sistema religioso.

O olhar caolho incentivou que Estêvãos fossem apedrejados, como está na memória de muitos. Estêvãos de faces feridas e os olhos fitos em Jesus, ao ofensores oferecem o perdão. Nas mãos de caluniadores ficaram em silêncio e foram destroçados pelas lanças do falso profetismo, especialmente pelas caladas da madrugada.

Neste sentido o sangue deles ainda clama, assim como o sangue de Abel. No Dia de Cristo, quado for assentado o Tribunal de Cristo, Ele avaliará a obra de cada um. Porquanto está escrito (2 Co. 5.10 – ênfase nossa):

“Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.”

O passar dos anos mostra que muitas vestes sujas de sangue das pedras lançadas contra os desafetos, foram depositadas aos pés do monarca orgulhoso. Porém a blasfêmia contra o Espírito Santo não tem perdão.

O espírito humano é capaz de oferecer a mais profunda resistência ao Espírito de Cristo Jesus, mesmo ciente de que será lançado em Juízo e no inferno “onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga” (Mc. 9.43-49).

Por incrível que pareça, existem movimentos religiosos capazes de formatar hereges, aparentemente cristãos, que entristecem e oferecem amarga e profunda resistência ao Evangelho de Deus (cf. At. 11.17; Ef. 4.30; Ap. 22.18-19).

O Ídolo-Obra obriga perseverante sujeição. Os beatos formatados giram ao redor desse ídolo criado pelo olhar caolho do construtor de heresias; e nunca, jamais, se admite pensar ou questionar a doutrina revelada além da letra. Somente nesta formatação os servos da Obra serão úteis ao sistema religioso.

O gedeltismo abusou dos erros com a linguagem do não-pensamento ancoradouro do falso profetismo que se observa nas unidades locais.  Fato gerador da incerteza. Com a infeliz interpretação do Apocalipse Gedelti Gueiros demonstra descontrole e grande ignorância. Esta doutrina revelada além da letra inventada por ele nada mais é do que fogo estranhoe rebelião. Teologismo!

O gedeltismo mergulhou as unidades locais da ICM-PES na apostasia, elaborou e institucionalizou o DON como absolutamente inquestionável. O DON impera na força da monarquia quadragenária. Segundo eles, quem pecar contra a ICM-PES – leia-se: Obra Maravilhosa, comete o imperdoável pecado contra o Espírito Santo.

O resumo da minha denúncia aparece no artigo O DESASTRE DA HERESIA ICEMITA.

Ora, presos no maranatismo-monárquico-pseudocarismático os icemitas de carteirinha acham que servem a Jesus “em espírito e em verdade”. Engano! Não atentam para o mandamento (Ef. 5.11):

“E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas;

antes, porém, reprovai-as”.

Por absurdo que nos pareça, agora a doutrina revelada é proclamada por satélite. Pasmem!

Quando foi que um anjo lhes apareceu com “outro evangelho” que não o das Escrituras?

Que espírito estimulou os mestres e pastores da ICM-OBRA  serem “cúmplices nas obras infrutíferas das trevas”?

Vale dizer: agora, atingindo as alturas do eclesiasticismo salomônico, o gedeltismo quer ser ouvido desde os altos céus e ao redor da terra. Mas este satélite servirá para quda do sistema.