imagesCA14GB2SÀs 0h27 de sábado, 27, o juiz Maurício Fossen anunciou que Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foram considerados culpados de matar a filha dele, Isabella Nardoni, em março de 2008. As penas estabelecidas são de 31 anos, um mês e dez dias de reclusão para Nardoni e de 26 anos e oito meses para Anna Carolina, por homicídio triplamente qualificado e fraude processual.
 
A diferença entre a pena dos criminosos foi justa. Entendam: Alexandre protegeu sua mulher e livrou-se da filha. Demonstrou a loucura da sua paixão pela COMPARSA, e fechou os ouvidos ao angustiante clamor da filha inocente que gritou várias vezes: “Não faça isto, Papai”…. “Não faça isto, Papai”….

Caso de repercussão internacional e exemplo da destruição da família quando em conflitos emocionais (sem entrar nesse mérito). Classifico a condenação deles como vitória popular. O povo está de bem com a justiça!

Diversos fatores culminaram nesse crime bárbaro: cenas de ciúme doentio, desequilíbrio de ambos os lados, dureza de coração, o rapaz sustentado pelo pai, paixão tola…

O próprio juiz fez notar a frieza com que Alexandre e Anna Carolina se conduziram ao longo de todo o processo. Não acredito que em algum momento tenham sido movidos pelo arrependimento (e eles poderiam confessar para diminuição da pena). Pelo contrário, ambos demonstraram que são degenerados, voltados para a maldade pura e para torpeza. Remorso talvez, mas não arrependimento…

Parabenizo o Francisco Cembranelli que viveu este caso como se fosse defendendo a sua própria vida. Parabéns ao homem de boa vontade.

Porém, há algo que destaco: ao longo da semana o inacreditável contingente de povo gritando JUSTIÇA! JUSTIÇA em frente ao Fórum e posso dizer, pelo Brasil afora gritando: JUSTIÇA! JUSTIÇA! Gritaram por suas crianças, milhares de milhares sofrendo abusos, e carências, e doenças, e estupros, e fome, e misérias, e vergonha… meu Deus!

Por fim, penso nos amados irmãos vítimas da HERESIA ICEMITA e desmandos do FALSO PROFETISMO que corre como fogo em palha seca nas unidades locais (artgs. 21,22,23 e 31 do E-ICM-PES).

Quando gritarão por JUSTIÇA diante do palácio da rainha desfigurada?

Quem lê entenda.